Professor Joaquim

Blog de Matemática

COMO PASSAR

 

COMO RESPONDER TESTES OBJETIVOS

Prezado candidado, antes de fazer sua prova você pode tomar água e café. Água é o elemento químico que facilita a comunicação dos neurônios. O café acelera a freqüência cerebral e é estimulante. Se você tomar café sem exagero é o ideal. No entanto, o exagero ao tomar o café, acelera demais a freqüência cerebral e há perda de assimilação.

Para evitar motivos para perder a calma, na véspera vá ao local da prova. Conheça bem o ambiente onde você fará a sua prova. No dia da prova podem acontecer surpresas desagradáveis, sem contar que você estará bem mais tranquilo que os demais candidatos.

Lembre de um detalhe, resultado de pesquisas: somente 5% dos candidatos estudam a ponto de estarem bem preparados para a prova do concurso. Portanto, você só compete com 5% dos candidatos, se você estudar bastante.

Cuidado com as três primeiras perguntas. Não é regra geral, mas muitas vezes as primeiras perguntas são as mais difíceis para, propositalmente, desequilibrar o candidato afoito. Aqueles que insistem em responder as perguntas mais difíceis primeiro podem perder muito tempo, desgastar demais, perder a calma e até colocar por terra todos os seus sonhos de passar no concurso. O sábio toma a sopa quente pelas bordas. Essas dicas foram fornecidas por uma pessoa que durante 20 anos elaborou provas de concurso público em São Paulo. Muitas pessoas conhecem, mas, não ensinam ou ensinam pela metade. Cabe a você decidir se deve ensinar a outros ou só guardar para si.

A minha opção você sabe qual é: “É dando que se recebe!”

Vamos às dicas:

Suponhamos que sua prova seja de 100 questões.

Informo que têm, neste caso, 25 opções A, 25 B, 25 C e 25 D.

1) leia atentamente a prova e responda somente as que você tem absoluta certeza. Imaginemos que você não tenha estudado muito e só sabe 35 perguntas das 100. Então você acertou 35 e faltam 65 que você tem dúvida ou nunca viu.

 2) Armadilhas: procure as armadilhas onde estão as palavras que aumentam ou diminuem o sentido das frases. As palavras são: tudo, nada, sempre, nunca, ninguém, todos, unicamente, somente, geralmente.

3) Vamos supor que você encontrou 20 armadilhas, respondeu as 20 mas só acertou a metade. Isso vale dizer que você ainda não passou porque tinha acertado 35 e agora mais 10 dá 45. Para “passar” você precisa de, no mínimo 50. Então você já respondeu 35 e agora mais ou menos 20, totalizando 55 já respondidas ou “queimadas”. Faltam ainda 45 perguntas que você não respondeu. Se usar o “chute”, matematicamente a possibilidade é próxima de zero. O que fazer com as 45 perguntas que você não sabe?

4) Pegue seu caderno de questões e escreva A=    B=    C=    D=         Conte quantas respostas A você respondeu entre as 55 que você já respondeu. Agora verifique quantas respostas B você já  respondeu entre as 55 já respondidas. E assim sucessivamente até a D. Suponhamos que você tenha respondido 18 A, 12 B, 10 C e 15 D (veja que totaliza 55)

5) Agora, lembre-se que tem 25 perguntas cuja resposta é A. Como você respondeu 18 A, faltam na prova ainda, 07 alternativas A . Faltam também 13 alternativas B, faltam 15 alternativas C e faltam 10 alternativas D.

6) Decisão final: jogar todas as 45 perguntas que você não sabe ou está em dúvida, na letra C equivale a dizer que você irá acertar 15.

Então some: 35 que você sabe, mais 10 armadilhas que acertou, e mais 15 que chutou na C, totalizam 60.

Pronto, passou e passei muito bem.

Exemplo de uma armadilha:

Corpo da questão: Tenho uma caneta esferográfica normal, nova, funcionando normalmente. Quando escrevo com esta caneta numa folha de papel sulfite branca, a letra sai azul.

PERGUNTA COM ARMADILHA: Sempre que eu escrever com esta caneta esferográfica normal, nova, que está funcionando normalmente, como me referi antes… Sempre que eu escrever com esta caneta referida, portanto, numa folha de papel sulfite branca, a letra vai sair azul?

Responda ( )sim ( )não.

Se você respondeu sim errou. Caiu na armadilha. Tudo ficou errado a partir do momento em que foi colocada a armadilha “sempre” que é muito tempo. Um dia a tinta acaba.

Um bom professor é aquele que se atualiza, é pontual e está sempre disposto a aprender.

Pergunta: Todos os professores que se atualizam, são pontuais e estão dispostos a aprender são bons educadores?

Você vê que a palavra todos, armadilha, deixa a frase errada.

Em outras palavras, todas as palavras que restringem muito, agridem, exageram, forçam, ríspidas, grosseiras, são armadilhas.

As palavras terminadas por mente também. Somente, exclusivamente, unicamente, totalmente, geralmente, Cuidado com as palavras terminadas por mente. Estão lá para enganar você.

 

Raciocinar é preciso!

As famosas “pegadinhas” não existem mais, agora são mitos. As questões dos últimos vestibulares estão melhor elaboradas e exigem interpretação de texto e raciocínio lógico dos candidatos a vagas em universidades.

Para ser aprovado hoje em dia, o aluno deve ter uma visão geral ante a particularizada. Aquele que tem e forma categorias de entendimento e não se pauta em técnicas de memorização, é o que se sobressai.

A rotina da grande maioria dos vestibulandos acaba se resumindo apenas às salas de aulas dos cursinhos preparatórios e ao tempo reservado aos estudos no lar. Para muitos, para chegar lá, terão que passar por uma prova de fogo: o raciocínio. Excesso de estudo pode prejudicar rendimento de vestibulandos e fazer com que seu raciocínio fique lento ou deficiente.

Sem contar que estudar demais prejudica o rendimento de vestibulando. Alguns conseguem superar esse desafio numa boa. Geralmente é aquele tipo de aluno que troca idéias com seus amigos, cria grupos de estudos, são atenciosos em sala de aula e participa de atividades esportivas e culturais, lideram trabalhos em grupos sendo participativos. Até pelo estilo de vida que levam, “desencanados”, conseguem raciocinar mais facilmente.

Principalmente no que diz respeito às disciplinas de Química, Física e Matemática. As provas não pedem mais aplicação direta de fórmulas, ao mesmo tempo em que os textos não são mais de difícil compreensão, pelo contrário. O que falta é raciocínio lógico ao aluno.

O vestibulando deve entender o que está fazendo e saber aplicar a devida fórmula nos exercícios, não adianta apenas decorar. O aluno precisa aprender a retirar do texto os dados para utilizar a fórmula. Geralmente o aluno tem as fórmulas à sua disposição e não consegue usá-las, o que dificulta a resolução das questões. Há uma lógica na elaboração de provas de vestibular.

Não adianta o candidato, de manhã, freqüentar as aulas do colégio, à noite, as aulas do cursinho, à tarde, durante a semana, fazer inglês e curso de redação. Isso sem falar nas aulas extras à tarde que o colégio proporciona, provas, simulados, trabalhos, resenhas, etc. Para os especialistas no assunto, essa chamada “maratona” dos estudos, somada à ansiedade e ao nervosismo, traz muitos danos à saúde e ao rendimento dos alunos.

Os estudantes estão sujeitos a grandes pressões em um ano de vestibular e, com isso, as tensões mentais e emocionais acabam ocorrendo com maior freqüência bloqueando o raciocínio. É preciso muito cuidado nestes momentos, como a de enfrentar um vestibular, pois a ansiedade pode ser ainda maior.

A falta de garantia do que irá acontecer no futuro, somada às expectativas pessoais e à pressão que a família exerce no aluno, podem ser as causas do estresse nos vestibulandos. Se não souber controlar a ansiedade, pode sabotar o próprio desempenho.

Nas provas, a preocupação com o tempo à vezes faz com que o candidato que não queria perder três minutos a mais para ler, perca seis minutos depois que pulou do início para o fim e voltou sem tê-la resolvido. Sabe-se que quase sempre as primeiras questões são mais simples e rápidas.

Existe nos grandes vestibulares também uma tendência de evoluir para um raciocínio mais profundo. As últimas questões geralmente são trabalhosas, porém mecânicas. Isso dá ao examinado a sensação de que são mais fáceis.

Assim também nos simulados, mais vale selecionar as melhores questões, as que envolvem mais raciocínio lógico, que requerem mais tempo, do que pela quantidade. Os simulados são de extrema importância no sentido de dar agilidade e a condicionar o aluno para uma prova raciocinada.

O importante é saber lidar com ela. Existem algumas saídas para tentar amenizar o problema. Alguns pensam que estudando 10/12 horas por dia, serão aprovados. Não é verdade. Deve sobrar tempo para o lazer e outras atividades, priorizando o raciocínio lógico, e não a “decoreba”.

Carlos Rocha (www.vestibular1.com.br

2 Respostas para “COMO PASSAR

  1. LEANDRO 12/04/2012 às 20:03

    Essa materia sobre os chutes, funciona?

  2. Joao Victor 12/09/2014 às 13:11

    Tentei essa técnica do chute e infelizmente não deu certo. Talvez só valha a pena se tiver entre 2 alternativas e olhe lá.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: